Coach do Coach

Os melhores profissionais e as melhores equipas têm um denominador comum: serem peritos nas competências intra e inter que perfazem as relações interpessoais entre todos os objectivos, as ferramentas e os meios.


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Quanto mais trabalho com adultos, melhor percebo que tenho de trabalhar com crianças

Dar formação na área da comunicação, trabalho de equipas, liderança, team cognition nas empresas, associações e clubes. Dar aulas. Fazer coaching. Team Assessment. Entrevistar estes e aqueles para projectos e livros. É isto que faço.

Naturalmente contacto com muitas pessoas. Com diferentes tarefas e de diferentes áreas. Com missões, valores e objectivos distintos. É também naturalmente magnifico porque conheço muitas pessoas. Quase todas elas adultas para cima! Daí o título do texto!

Sou confrontado constantemente nos adultos com a falta de hábitos positivos para as relações interpessoais, para o trabalho com o outro, com o sentido de grupo, dar feedback, com a capacidade de alinhar com os colegas. Começo a perceber melhor que eles têm essa noção. Mas nem todos consideram que isso seja...grave. Assim assim!

O problema é que nessas idades, alterar hábitos, pressupostos, crenças, experiências é muito mais...complexo! Difícil e por vezes, um caminho que preferem não caminhar. Uma viagem para o qual, diria eu, uns não querem, outros não conseguem e a grande maioria, desconhece que deveria fazer.

Tenho de descer e tentar incutir estes hábitos de trabalhar com o outro, fundamentar, discutir pontos de vista, gerir pessoas, tomar decisões, comunicar, aceitar a diferença, etc. cada vez mais cedo. Com as crianças. O nosso futuro, a vários níveis, necessita disso. Social, profissional e pessoal!  

2 comentários:

Rui Nogueira disse...

Olá, Coach Rui

Discordo terrivelmente com este artigo.
Quanto mais trabalha pior. Ou seja deve trabalhar menos e melhor.
Depois não dá nada a ninguém. Forma pessoas, equipas, etc...
Nunca é tarde para aprender.
E descer só se for de um ponto mais alto para um ponto mais baixo, para se deslocar com menos esforço.

Um abraço

Rui Lança disse...

Boa noite Caro Rui!

Se eu disse e não me conseguiram entender, foi porque me expliquei mal. Neste caso...aplica-se mesmo. O que quis dizer...é que é fundamental começarmos a incutir desde muito cedo alguns hábitos que serão muito importantes quando formos adultos. E daí entender, considero eu, que esse trabalho não está a ser bem realizado quando fomos novos. Falo por mim e das poucas experiÊncias que tive durante o meu processo educacional. Abraço!