Coach do Coach

Os melhores profissionais e as melhores equipas têm um denominador comum: serem peritos nas competências intra e inter que perfazem as relações interpessoais entre todos os objectivos, as ferramentas e os meios. (Rui Lança)

quinta-feira, 31 de julho de 2008

terça-feira, 29 de julho de 2008

O Mestre Phil Jackson


Para quem gosta de formas alternativas, mas eficazes, de lidar com as pessoas, como potenciar as suas capacidades, fazer uma espécie de SWOT sobre as 'nossas' e as suas capacidades, deixo aqui esta referência de fácil leitura!


Phil Jackson, actual treinador dos Lakers LA, equipa de Basquetebol da NBA, que ficou célebre pelo trabalho desenvolvido na também equipa da NBA, os Chicago Bulls, onde teve a sorte e o engenho de treinar naquele que viria a ser considerado o melhor basquetebolista de todos os tempos (e um dos maiores desportistas que há memória), Michael Jordan.
Nome: Mindgames, Phil Jackson's long strange journey
Autor: Roland Lazenby
Ano: 2001, University of Nebraska Press

Petit!


Os benfiquistas foram hoje confrontados com mais uma notícia, a meu ver, inesperada. A saída do médio defensivo Petit para o Colónia, clube que recentemente foi promovido à Bundesliga.


Nas palavras de Quique Flores, Petit fazia parte do 3.º grupo de jogadores, sem qualquer ordem qualitativa, mas sim, o grupo de jogadores com experiência. Existe o grupo de jovens, de quem se espera que possa sair algo surpreendente, o grupo dos jogadores que chegam e estão por chegar, e o tal 3.º grupo.


Não esperava ver o Petit a jogar com tanta regularidade como nas épocas anteriores, por diversas razões. Mais opções, esperando para ver se com qualidade, e a idade, que é uma inimiga assumida de umas das maiores qualidade do médio português, a raça e resistência. Para além da sua saída ser a custo zero, ser forçada pelo jogador ou estar a ser empurrado.


Mas numa equipa, têm de existir diversos tipos de jogador. E Petit é claramente um que podia fazer a transição com os que vão chegando, e não são assim tão poucos quanto isso. Seria um líder! E aqui nasce a segunda parte deste comentário.


Fará este afastamento ou cedência em deixar sair Petit parte de uma estratégia de começar de novo? Será que Rui Costa quer começar a construir este 'novo' Benfica ainda mais da base? Será que Petit poderia ser um entrave ou realizar atrito a novas metodologias? Bem, espero estar errado, mas daqui a uns jogos andaremos a suspirar pela entrega ao jogo de Petit.