Coach do Coach

Os melhores profissionais e as melhores equipas têm um denominador comum: serem peritos nas competências intra e inter que perfazem as relações interpessoais entre todos os objectivos, as ferramentas e os meios. (Rui Lança)

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Resultados do Inquérito sobre Equipas

Aqui estão os resultados! Obrigado aos que votaram, aos que passaram a palavra, aos que criticaram com sugestões.

Apesar de faltar aqui informação sobre quem votou, é um sinal. Aliás, vários sinais!

Curiosamente, num País que não se compromete consigo próprio, temos o "Compromisso com a equipa/resultado" em primeiro lugar. Surpreendente! Mas pela positiva, sinceramente.

Seguido dos "Objectivos alinhados entre o individual e a equipa". Muito positivo também, até pela dificuldade natural e notória de abdicarmos por vezes dos nossos objectivos em prole dos outros.

Do lado oposto ficaram a "Liderança Situacional" e "Partilha Cognitiva". Pessoalmente, considero os dois bastante importantes, quer pela capacidade de reconhecer que tipo de liderança e liderados são necessários, quer pela necessidade de partilhar sentimentos e antecipar situações, emoções e comportamentos dos outros membros da equipa.

Mais uma vez, muito obrigado. Posteriormente, abordarei individualmente cada item colocada para votação!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

terça-feira, 26 de abril de 2011








Liderança e Equipas no Empreendedorismo e Inovação

Onde a liderança e as equipas se inserem num processo de Empreendedorismo e Inovação? Que tipo de liderança, líder e liderados se adequam ao processo de criação de ideias, criação de valor, negócios, respostas ao mercado, etc?

Será este processo mais positivo se for em equipa? Ou mais complexo?

Que características têm as equipas ou as mesmas possibilitam alcançar, que nos faz afirmar que o processo em equipa neste caso torna seriamente uma conversa de brainstorming para criação de ideias inovadores 1 + 1 = 3 ou mais?

As equipas possibilitam:

- Ouvir outros;
- Encontrar alguém com os mesmos valores que eu;
- Melhorar a estratégia;
- Aperfeiçoar a liderança situacional;
- Aumentar os papéis diferentes existentes na equipa;
- Comprometer ou comprometer-me com algo;
- Partilhar e ajudar/ajudarem-me;
- Mais competências e exigências;
- Reconhecimento;
- Maior flexibilidade e adaptabilidade;
- Por fim...orgulho em pertencer a algo.

Não é um processo fácil, mas, com dedicação e motivadas para tal, pode ajudar!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Um contributo no bsq360

Um contributo da minha parte aqui!

Passem por lá e pelo melhor site de Basquetebol em Portugal.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Expert Teams

Um quadro retirado de: Burke, C.S.; Fiore, S.M.; Goodwin, G.F.; Rosen, M.A. & Salas, E. - The making of a dream team: when expert teams do best in The Crambridge handbook of expertises and experts performance.


Partilha dos modelos mentais


. Existem membros que antecipam as necessidades dos outros membros
. Conseguem comunicar entre eles sem comunicarem explicitamente

Optimizam recursos aprendendo e adaptando-se


. Capacidade de se corrigirem
. Conseguem compensar os outros elementos
. Modificam funções

Têm regras e responsabilidades claras


. Alguns membros conseguem entender os papéis dos outros membros e como melhorar as suas perfomances
. Entendem com clareza os papéis de cada elemento na equipas mas não acham que tal signifique que sejam estanques

Visão clara, valiosa e partilhada por todos


. Têm uma clara e comum finalidade
Encaixam num ciclo de disciplina de preparação – perfomance – reflexão
. Dão e recebem feedback regularmente, quer individualmente quer em equipa
. Regularmente analisam e revêem os planos e objectivos
. Diferenciam as altas e baixas prioridades
. Têm mecanismos processuais para antecipar eventuais problemas dos membros da equipa
. Periodicamente diagnosticam a eficiência da equipa através dos resultados, indicadores, processos e vitalidade da equipa

Têm uma liderança de equipa forte


. São liderados por alguém com boas competências de liderança e não apenas por alguém tecnicamente competente
. Têm elementos na equipa que acreditam que o líder se preocupa com eles
. Antecipam situações
. Promovem trabalho de equipa, coordenação e cooperação
. Corrigem-se sempre primeiro

Desenvolvem um forte sentimento colectivo, de confiança e de equipa


. Gerem bem os conflitos, colocando com eficiência os diversos membros em confronto
. Têm um sentimento forte de orientação colectiva
. Confiam nas intenções dos outros elementos
. Acreditam fortemente que a equipa é o meio mais eficaz para alcançarem o sucesso
. Desenvolvem a eficácia da equipa

Gerem e optimizam os resultados


. Fazem poucos erros
. Decidem quase sempre bem
. Têm grandes hipóteses de sucesso nas suas acções

Cooperam e coordenam


. Identificam o trabalho de equipa e as exigências do trabalho/funções
. Eles asseguram, que depois do desenvolvimento da equipa, a mesma possui o misto correcto de competências
. Inserem de forma consciente novos elementos na equipa
. Distribuem trabalho de forma criteriosa
. Examinam e reajustam o local de trabalho da equipa para optimizar a comunicação e coordenação

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Inquérito: O que distingue as equipas de alto rendimento?

No âmbito de trabalhos desenvolvidos e que pretendo continuar a desenvolver, gostava de conhecer a vossa opinião sobre o que de facto distingue as equipas de alto rendimento? Podem sempre em dizer...os resultados. Sim, correcto. Mas o que as distingue para alcançar esses tais resultados? Obrigado pela vossa participação!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Inteligência Emocional

Daniel Goleman defende que independentemente dos estilos de liderança, os líderes mais eficazes têm apresentado algo em comum: todos eles têm um alto grau do que se denomina inteligência emocional. Significa que possuem uma autoconsciência, autodisciplina, motivação, empatia e habilidades sociais que lhes permitem entender, primeiro, a sua própria constituição emocional, e em segundo, as outras pessoas para direccioná-las na direcção e na concretização dos objectivos dos seus projectos, equipas ou organizações.

Isto não significa que a inteligência emocional e o que a constitui é a única variante importante. As habilidades técnicas são relevantes, elas são o requisito para aceder a algumas posições de top. Quando se junta as temáticas de liderança e equipas (de trabalho) ainda ganha mais importância a inteligência emocional dado que esta permite a habilidade de trabalhar em equipa e a eficácia de liderar compromissos individuais e colectivos.


Este Sábado numa entrevista à 'Confidencial', Luís Paulo Salvado Presidente Executivo da Novabase afirma algo tão simples mas fantástico como isto -
"Os bons líderes são aqueles cuja empresa vive sem eles" - muito ao encontro do que já afirmava Collins.

Ao nível da Inteligência Emocional "pode desenvolver-se muito, mesmo na idade adulta. Pode ser o factor de sucesso que distingue os grandes líderes. Trata-se de aprendermos a gerir emoções e a relacionar-nos com as emoções dos outros, de tentar perceber a razão de críticas que nos fazem, ou qual é o estado de espírito do outro para comunicar bem com ele". "O papel último de um líder é desenvolver novos líderes".

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Uma forma de perceber o que é Gestão!


Em mais uma aula do curso de GLAT da ESHTE, o aluno Manuel Bilro teve esta forma eficiente de explicar aos colegas o que pode ser encarada a Gestão, quando muitos tentam decorar a sua definição sem perceber bem o que na realidade a mesma possa ser:

Guia Estratégia Simplicidade Trabalho Acção Organização


Obrigado.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Site sobre rh's, formação, etc

Durante uma aula de GLAT na ESHTE, a aluna Christina Ferrão disponibilizou este site sobre recursos humanos, formação, blogs, emprego, etc. Operacional e com muita informação, a consultar! Muito Obrigado.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Artigo na revista do Núcleo de Futebol

O projecto do Núcleo de Futebol da 'minha' Faculdade MH tem tido uma dinâmica invulgar pela positiva, o que só por isso deve ser louvado. O n.º 2 da revista acabou de sair, ver aqui. Conta com diversos artigos, um deles sobre 'Gerir os Processos de Equipa'. Obrigado ao Núcleo e votos para continuarem com o excelente trabalho.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O País que merecemos no blog Colectividade

No outro blog onde participo "Temos ou não temos o País que merecemos?" Reforço com esta frase: "Antes de sermos mais a querer alterar isto, será necessário alinhar os que já existem. Para que os que se juntem à causa saibam para onde se vai."

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Ainda a decisão

Um outro artigo no site bsq360 denominado "O treinador tem de decidir". Sobre a tomada de decisão, escuta activa e a capacidade de decidir bem e (nem sempre) rápido. A acompanhar. Obrigado Edgar!