Coach do Coach

Os melhores profissionais e as melhores equipas têm um denominador comum: serem peritos nas competências intra e inter que perfazem as relações interpessoais entre todos os objectivos, as ferramentas e os meios.


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Aqui está o texto sobre 'Quem treina o treinador?'

Aqui está o texto sobre 'Quem treina o treinador?'

O treinador durante um treino gesticula, fala individual ou colectivamente com os atletas, pára o treino, entra ou permanece no recinto de competição, retoma o treino, senta-se, levanta-se, passa área de jogo e comunica para que todos o ouçam. Muitas das vezes num ambiente quase em silêncio!

Para lá destas acções do treinador, temos assistido a ...
uma evolução fantástica no treino desportivo e no conjunto de ferramentas que fornecem informações sobre os atletas e a equipa adversária. Metodologias, suportes tecnológicos, informáticos e psicológicos, mas estranhamente, quase todas elas direccionados para o atleta.

Afirmamos estranhamente, porque crescem o número de funções e exigências para um treinador, mas tal processo não tem sido acompanhado de mais e melhores ferramentas focadas em si. Hoje um treinador antes, durante e após o jogo tem um manancial de informação, relatórios, análises, mas isso não melhora obrigatoriamente o seu desempenho na relação com os atletas. A sua comunicação com os vários elementos em jogo. Na forma como gera a tomada de decisão e as emoções. As suas e dos seus atletas.

O treinador é analisado cada vez mais na forma como atinge os seus resultados. Como lidera, decide, comunica, gere. Obriga-o a melhorar um conjunto de competências como a forma de motivar, comunicar, liderar, decidir, reconhecer os seus atletas e equipas. Se o saber agir do treinador influencia em muito, não só as relações do treinador e atleta, mas também aquilo que os jogadores são capazes de interpretar e executar, não deve ser este um ponto fundamental para que o treinador treine e melhore? Mais uma vez, estranhamente a grande maioria das abordagens das relações treinador / atleta centram-se nos problemas de carácter psicológico revelados pelos atletas e esquecemo-nos que o treinador exige igual análise. A menos que se considere que o treinador está apto para todas as exigências relacionais e de liderança!

Não existe um perfil único nem ideal de treinador. Tipo super-herói que sabe tudo e não se incomoda com nada. Existem sim comportamentos e características que aumentam a capacidade do treinador atingir com mais eficácia os seus objectivos. Umas são as ferramentas relacionadas com a sua experiência, conhecimento técnico, táctico, outras são ferramentas focadas na sua tomada de decisão, comunicação, gestão, liderança, justiça e compromisso.

Terá lógica que estas competências que tanto influenciam o seu desempenho e dos atletas estejam dependentes da sua capacidade de distanciar-se e auto-análise? Não está em causa a vontade do treinador querer melhorar. Está na forma! É possível constatarmos inúmeros treinadores que cada vez mais se diferenciam para lá do conhecimento que têm do jogo. Pelas competências comportamentais que conseguem aplicar em si e nos que o rodeiam. E tal como para um atleta, que por muito forte física ou tecnicamente que seja, precisa de trabalhar arduamente, também um treinador precisa de treinar e ser treinado muito arduamente.

Espero que gostem. Ou haja críticas. Feedback!

6 comentários:

Rui Nogueira disse...

Olá, Coach Rui

Tenho vários treinadores mas o principal sou eu, (me, myself and I).
Como estou lesionado, com dor de cotovelo e em tratamento/auto tratamento esquivo-me a comentar o texto:

'Quem treina o treinador'

Um abraço

Rui Lança disse...

Gosto da expressão me, myself and I.

As melhoras rápidas, abraço,

rl

curtos instantes disse...

"...treinadores que cada vez mais se diferenciam para lá do conhecimento que têm do jogo."

São muitas as vezes em que apostamos na formação naquilo em que já somos bons, ao invés de apostarmos em evoluir em matérias que, sendo necessárias, não dominamos tão bem. Exemplo disso é a formação dos vendedores, a qual é sempre em vendas, pois claro!

A tomada de consciência, neste caso por parte de treinadores, de que o seu sucesso vai para além do 4:4:2 ou 4:3:3 - questões técnicas - passando, isso sim, pelos soft skills é fundamental para o sucesso.

Por onde começar, então? Pela comunicação. Quanto melhor comunicarem, melhores líderes serão; quanto melhor comunicarem as suas decisões, mais partilhadas serão, aumentado assim o compromisso.

Serão estas matérias devidamente abordadas nos seus cursos de treinadores?

Rui Lança disse...

Há muito tempo que se discute o conteúdo dos vários cursos. Se entrarmos por aí, também discutiríamos os cursos académicos e as suas disciplinas. No desporto, talvez pela questão de se pensar que o treinador tem de ser aquele líder carismático e intocável, pouco se fala nas áreas comportamentais. Espero poder ajudar com o próximo livro.

Soccer Coach thiago melo disse...

Olá Coach Rui, gostei muito deste texto porque não nos faz repensar sobre os nossos atos como treinadores, não nos deixando acomodar nunca e querer melhorar sempre em busca de novos e melhores resultados!

Rui Lança disse...

Muito Obrigado Thiago! E bom trabalho de treinador!